Personalidade e finanças

á parou para pensar como existem diferentes perfis financeiros e o quanto isso resulta em sucesso ou não? Você conhece seu perfil financeiro? Vamos falar de alguns comportamentos que revelam algumas tendências de personalidade e que podem ser aprimoradas e mudadas levando a qualidade de vida, estabilidade e prosperidade.

Conhece alguém que poupa quase tudo o que ganha, tem muita facilidade e poupar, mas pouca de desfrutar do que tem? Esse tipo poupador é movido pelo medo do futuro, medo da perda da capacidade financeira ou de passar necessidades. Encontram-se essas pessoas, principalmente naqueles que tiveram uma origem humilde, com sérias restrições financeiras e que com muita força de vontade, melhoraram suas condições financeiras.

E aquele que gasta quase tudo o que ganha, poupar nunca é uma opção, aliás, nem pensam em segurança financeira, conhece? É o conhecido como gastador, aquele que desconta suas emoções no dinheiro, são impulsivos e compensam suas insatisfações e carências consumindo.

E aquele que nem sabe quanto ganha, quanto gasta, porque delega isso a outros, se tornando dependentes, com sérias dificuldades em tomar decisões financeiras? É o desligado, que apesar de passar muita tranquilidade, na verdade revela um comportamento infantil de não assumir suas responsabilidades e terceirizar a outros.

O escravo do dinheiro é aquele que nunca se satisfaz, sempre quer ganhar mais, quer mais de tudo e vê o dinheiro como o objetivo de sua vida. Geralmente, é uma pessoa ansiosa e insegura, que baseia seu valor pessoal no quanto tem. Não é o ser que vale é o ter!

Já se deparou com alguém que não gosta de dinheiro, que tem raiva de quem tem uma melhor condição de vida financeira e que considera ter dinheiro quase como um pecado? São pessoas que sentem uma imensa culpa de ter mais que outros e ao mesmo tempo uma grande inveja dos que tem mais dinheiro. Essa relação contraditória com o dinheiro causa estagnação e frustração na vida da pessoa, por vezes esses sentimentos não são conscientes.

Reconheceu-se em algum tipo?

Que bom, agora o passo é encarar a mudança e investir em sua vida financeira, para que tenha liberdade de usufruir da melhor forma possível dos bens que tem acesso e traçar novas metas, não pelo dinheiro, mas pelo que ele pode proporcionar: segurança e qualidade de vida, principalmente!

Invista em você!