Autoconhecimento

Santo de casa não faz milagre

Venho pensando muito nesse ditado antigo e por vezes tenho percebido e sentido que pode ser assim mesmo, embora não precise ser! Sabe aquela história da grama mais verde do vizinho? Também se encaixa aí. Sabe por quê?

Por que a idealização parece melhor do que a realidade; porque quando idealizamos não podemos ver a humanidade do outro, ou seja, que esse outro, embora muito talentoso, belo e com ideias geniais, é uma pessoa com defeitos, vulnerabilidades e medos também, uma pessoa como nós.

Semeando na sua própria vida

“O semeador saiu a semear; quando semeava, uma parte da semente caiu à beira do caminho, e vieram as aves e comeram-na. Outra parte caiu nos lugares pedregosos, onde não havia muita terra; logo nasceu, porque a terra não era profunda, e tendo saído o sol, queimou-se; e porque não tinha raiz, secou-se. Outra caiu entre os espinhos; e os espinhos cresceram, e sufocaram-na, e não deu fruto algum. Mas outras caíram na boa terra e, brotando e crescendo, davam fruto, um grão produzia trinta, outro sessenta e outro cem. Disse: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça”.

Páginas