Vaidade é uma qualidade sim

Vaidade, segundo o dicionário Aurélio, é a "qualidade do que é vão, ilusório. Desejo imoderado de atrair admiração" e há muito tempo deixou de ser um atributo exclusivo de mulheres.

Hoje crianças e homens também se preocupam muito com sua aparência exterior. Sem falar em adolescentes e jovens que sonham com uma carreira promissora no mundo da moda, na qual a vaidade é essencial. Querer se sentir bonita (o), vestir-se bem, cuidar do corpo, melhorar aqueles pontos nem tão positivos são desejos saudáveis de todo o ser humano, uns mais outros menos. Não ter vaidade nenhuma não é um bom sinal, pois a vaidade pode demonstrar o cuidado que temos conosco, nossa auto-estima.

O perigo acontece quando deixamos de investir em outros atributos e deixamos que o mundo exterior domine nossos padrões, estabeleça metas incompatíveis com nossa realidade ou inalcançáveis, nos tornando escravos de padrões externos, o que acaba por ocasionar diversas dificuldades ou mesmo patologias, tais como individualidade excessiva, narcisismo, competições desnecessárias, anorexia, bulimia, depressão, transtornos de ansiedade. O vaidoso excessivo não consegue lidar com uma aparência menos do que "perfeita".

Pais fiquem atentos se seus filhos são apenas crianças ou já se transformaram em "mini-adultos", que não mais se importam com as brincadeiras infantis, tão importantes ao desenvolvimento da personalidade, o que pode futuramente gerar grandes dificuldades psicológicas.

Modelos e candidatos a modelo devem, com certeza, investir em seu instrumento de trabalho: a aparência, contudo, devem igualmente investir em diferenciais, tais como cultura, estudo, autoconhecimento, características que fazem a diferença na escolha de um bom profissional.

Tenham seu próprio estilo! Mulheres se cuidem, mas não exterminem todo o prazer da vida, se privando de momentos importantes em prol da vaidade, como apreciar um bom jantar com os amigos, marido, namorado; vivendo em academias, sem mais investir em sua vida social e querer ser exatamente como aquelas modelos magérrimas e "maravilhosas" das revistas. Respeitem seu biotipo!

Homens, continuem se cuidando, isso é muito bom, uma revolução na cultura machista! Mas não se esqueçam de que o importante não é valorizar a si e aos outros apenas pela aparência, mas pelo que deixamos de bom na vida das pessoas, pela conquistas que realmente nos dão orgulho.

O segredo encontra-se no equilíbrio. Saber dosar o desejo de se cuidar com os exageros exigidos pela mídia, sociedade, enfim, o meio em que estamos inseridos; saber investir em outros pontos, como inteligência, personalidade, empatia, não deixando que o externo se torne mais importante que o nosso interior, para não se tornar alguém superficial, narcisista. Sabe por quê? Porque tudo isso é muito vulnerável.

As coisas que realmente ficam ao longo de nossa vida são nossa saúde física e emocional, nossos relacionamentos, nosso amor-próprio, o que só conseguimos ao buscar qualidade de vida. Isso é ser feliz!

Invista em você! 

(Artigo escrito para Revista Mídia Regional 2009)