Superando Obstáculos

Resiliência é um termo utilizado para definir a capacidade humana de passar por experiências adversas sucessivas sem prejuízos permanentes e tem como base fatores tanto constitucionais como ambientais e varia de acordo com as circunstâncias.

A noção de resiliência é utilizada pela física há muito tempo, através de Thomas Young, um dos cientistas precursores, que introduziu a noção de módulo de elasticidade e na análise dos estresses de impacto, denominando a resiliência de um material na capacidade deste em absorver energia sem sofrer deformações permanentes.

No campo psicológico é caracterizada como um fenômeno psicológico construído pelo indivíduo e seus vínculos e relações ao longo da vida, que contribuem para o desenvolvimento da auto-estima e autoconfiança, ou seja, a pessoa desenvolve um sentimento de confiança de que os problemas e obstáculos podem ser superados, encontrando novas formas de lidar com a vida e se reorganizar de maneira eficaz.

Note que resiliência refere-se a uma habilidade de superar adversidades, não de ser invulnerável, saindo sempre ileso de experiências difíceis. Podemos observar isso em algumas pessoas importantes cujas biografias foram marcadas por tragédias acumuladas que conseguiram superar suas dificuldades e transformá-las em eventos impulsionadores de novas habilidades e experiências positivas para a vida. Geralmente essas pessoas desenvolvem padrões eficazes de defesa e depois de adaptação, tornando-se, então resilientes.

Algumas características são muito importantes para o desenvolvimento da resiliência, tais como:

* Dar um sentido positivo à adversidade, contextualizando estressores e desafios, encarando-os como possíveis de solução e aprendizado; 

* Passar para o campo da ação com otimismo na superação do que pode ser mudado, mas utilizando-se da aceitação daquilo que não como ser mudado, visualizando novas possibilidades. Para isso valores pessoais, a espiritualidade, planos e objetivos de vida têm papel fundamental;

* Flexibilidade, ou seja, a capacidade para lidar com as mudanças, reformulações e adaptação, buscando o sentido da continuidade sempre;

* Desenvolver rede de apoio social e familiar, com apoio mútuo, respeito às diferenças e limites individuais, equilíbrio entre trabalho e família, compartilhamento de sentimentos e responsabilidade pelos próprios comportamentos, sem busca de “culpados”, bom humor e criatividade;

* Foco nos objetivos e postura proativa, buscando não apenas solucionar crises, mas agir de maneira preventiva na preparação para futuros desafios.

Faça sua própria auto-avaliação e descubra se você é um resiliente. Se não for, não se desespere. Essas habilidades podem ser desenvolvidas através do autoconhecimento, nova leitura sobre as experiências vividas e um ótimo instrumento é a psicoterapia.

Invista em você!