Psicologia

Durante toda sua história, o homem buscou respostas para questões existenciais e outras ciências contribuíram muito para algumas respostas, mas a psicologia busca, além de respostas à humanidade como um todo, respostas ao ser humano como um ser único, com sua individualidade, diferenças, angústias e inquietações partilhadas com seus semelhantes ou únicas no seu contexto de vida.

A psicologia constitui um ramo da ciência que estuda o comportamento e os processos mentais. Teve sua origem na filosofia e Fisiologia e alguns de seus conceitos foram inspirados em grandes pensadores, como Sócrates, Platão e Aristóteles.

A palavra psicologia vem do grego: psique - alma e logos - estudo. No Brasil a profissão foi regulamentada em 27 de agosto de 1964 e está em pleno crescimento.

 A psicologia teve várias influências teóricas ao longo do seu desenvolvimento:

* William James (1842 a 1910) que se interessou pela definição da consciência, como funciona o homem e como este se adapta ao meio;
* Edward Titchener (1867 a 1927) que também se preocupou com o conceito de consciência, mas em relação aos seus aspectos estruturais, ou seja,  estruturas do Sistema Nervoso Central;
* Edward Thorndike (1874 a 1949) que se preocupou em demonstrar como o homem aprende por um processo de associação de ideias, das mais simples às mais complexa.

No início do século XX, surgiram novos estudos que levaram a mais três correntes principais, que são a origem da diversidade de referenciais teóricos atuais:

* John Watson (1878 a 1958): Behaviorismo, surgido nos EUA e propondo a teoria que para cada resposta comportamental existe um estímulo;
* Wertheimer, Köhler e Koffka (1910 a 1912): Gestaltismo, surgido na Europa, mais precisamente na Alemanha, postulando a necessidade de se compreender o homem como uma totalidade, resgatando as relações da Psicologia com a Filosofia;
* Sigmund Freud (1856 a 1939): Psicanálise: teoria elaborada por recuperar a importância da afetividade e tem como seu objeto de estudo o inconsciente.

Hoje os conhecimentos produzidos pela Psicologia e a complexidade e capacidade de transformação do ser humano, acabaram por ampliar em grande medida sua área de atuação. Assim, a Psicologia hoje, pode contribuir em várias áreas de conhecimento, possibilitando cada área uma gama infinita de descobertas sobre o homem e seu comportamento, ou sobre o homem e suas relações. As principais áreas de atuação são:

* Psicologia Clínica;
* Psicologia Hospitalar;
* Psicologia Comunitária;
* Psicologia do Desenvolvimento;
* Psicologia do Esporte;
* Psicologia do Escolar/Educacional;
* Psicologia Jurídica/Forense;
* Psicologia da Personalidade;
* Psicologia da Saúde; 
* Psicologia Social;
* Neuropsicologia.