Não tenha vergonha da sua meta

“Se você tem vergonha da sua meta, ela não vai acontecer.” (Roberto Shinyashiki)

Que interessante essa citação, como alguém pode ter vergonha das suas próprias metas? Na verdade, quando penso mais profundamente nesta frase, penso que a história de vida de cada um tem muito a ver com isso. Habitualmente trazemos crenças inconscientes através de muitas das atitudes que temos hoje, essas crenças foram internalizadas pelo aprendizado com pessoas com que convivemos ou com quem nos identificamos em algum momento de nossa vida, também através de experiências específicas, nas quais precisamos nos utilizar de todas as estratégias possíveis para lidar.

Algumas dessas crenças foram generalizadas e ficaram cristalizadas em nosso ser e não importa o quanto mudamos, o tanto de tempo que passou ou até as circunstâncias serem diferentes, que continuamos a buscar velhos esquemas. Por exemplo, para algumas pessoas é difícil romper com regras familiares, mesmo que não faça mais sentido continuar vivendo daquela forma.

Já reparou como os membros de uma família tendem a manter o estilo de vida? Alguns mantem a tradição familiar de determinada profissão; não podem sair dos seus lugares de origem (cidades, bairros, comunidades), porque a família toda está ali, mesmo quando tem uma oportunidade; alguns permanecem em uma religião que não faz mais sentido para si, só porque a família toda acredita; e em casos graves, alguns podem não crescer, porque se crescerem estarão “traindo” os seus (que não cresceram) e por isso não ousam nem sonhar.

Aí entra o mecanismo da autosabotagem, para não rompermos com velhas escolhas, com os sonhos que outras pessoas sonharam para nós, nos mantemos no mesmo status quo, não sonhamos, não desejamos mais, e se não conseguirmos sufocar nossos sonhos, sentimos uma imensa vergonha de não nos encaixarmos no que esperam para nós, ou seja, sentimos vergonha de nossas metas.

Para algumas pessoas, que já romperam alguns padrões disfuncionais, que foram além, pode ficar uma sensação de dívida, de não merecimento, uma necessidade de reasseguramento e de aprovação muito grandes, e mesmo tendo vencido, chegado em suas metas, nunca se satisfazem.

Eu ainda não vi ninguém realmente que venceu por seus próprios méritos permanecer no mesmo lugar, do mesmo jeito, com as mesmas pessoas, geralmente foram pessoas que ousaram ir além do era esperado e muitas vezes, do que era conhecido até o momento. Então, deixo aqui uma reflexão para que você possa sim, acreditar em suas metas, no sentido de vida que tem para si e ao invés de se envergonhar por ser diferente, por querer mais, por não se conformar, ouse ir além, tenha orgulho de seus valores e corra atrás do que acredita.

Ninguém fará isso por você, mas no final, tudo terá valido a pena!

Invista em você!