Ligando os pontos

Estava eu aqui pensando em algo para escrever. Confesso que tenho um problema: só consigo escrever quando no meu mundo interno, o que escrevo faz sentido. Recebo muitas sugestões ótimas, mas não escrevo por escrever.

E Hoje vi um vídeo de 2005 em que Steve Jobs discursava na formatura de alunos de Stanford e um dos temas fez sentido para mim no momento, embora tudo o que foi dito tenha sido relevante. Vou começar por uma citação deste homem que foi ao mesmo tempo tão bem sucedido e controverso:  “Você não pode ligar os pontos olhando para frente. Você só pode ligar olhando para trás.”

Outro problema meu é que gosto de questões filosóficas, que não tem uma resposta única ou fácil. Você já se perguntou por que algumas coisas acontecem com algumas pessoas? Ou mesmo com você mesmo?Eu me pergunto sempre isso! E ainda não cheguei a uma resposta convincente...

Hoje quando vi esse vídeo, empiricamente, ou seja, por experiência própria, percebi o quanto foi importante passar por alguns caminhos inesperados, e às vezes, indesejados.

Dependendo do dia, do humor e do ponto de vista, posso ver o quão difícil foram alguns caminhos, mas dependendo do dia, do humor e do ponto de vista, percebo que esses caminhos, certos ou errados, fáceis ou difíceis, me trouxeram algo, seja uma mudança, amadurecimento, desenvolvimento de recursos e habilidades.

Ligando os pontos, percebi como alguns caminhos nos capacitam para viver melhor o futuro, se nos permitirmos esse olhar integrador.

 Nos meus atendimentos, por muitas vezes me calo diante de questionamentos existenciais difíceis, perguntas que eu na mesma situação da pessoa também me faria. E sem respostas, preciso me lembrar que meu papel, por vezes, é apenas apoiar a pessoa em momentos difíceis, estar junto, ouvir e até “chorar” junto, mas mesmo sem respostas, uma coisa fica clara, daqui um tempo, talvez aquela mesma pessoa, encontre suas próprias respostas para o que aconteceu, ligue os pontos e invariavelmente diga depois de um tempo: agradeço pelo que me aconteceu, porque me permitiu desenvolver coisas que nunca pensei e hoje enxergo que foi melhor assim. Sim, já falei e escutei isso algumas vezes!

 Espero que você ao ler esse artigo possa olhar para você mesmo, sua vida e ligar os pontos dos cursos que fez, dos erros que cometeu, dos empregos que teve, das mudanças desejadas ou não, e seja capaz de perceber que a maneira como olha para tudo isso, faz de você o que você é hoje e que sempre haverá a possibilidade da renovação.

 Invista em você!