Duas vidas (2000)

O filme Duas Vidas narra a história de Russ Duritz, que perto do aniversário de 40 anos, no auge de sua carreira, solitário, egoísta e por vezes rude com as pessoas, ignorando completamente os sentimentos das pessoas e os seus, encontra um garoto de cerca de 10 anos no seu caminho. Um garoto cheio de sentimentos e emoções! A

princípio, Russ pensa que está ficando louco, tendo alucinações, mas outras pessoas também podem ver o garoto e após estabelecer uma comunicação com ele, descobre que aquele garoto, na verdade era ele mesmo quando criança. Passa a lembrar de episódios do seu passado, da sua família e acredita que aquele garoto “sentimental” estava ali para aprender a ser alguém na vida, não permanecer fracassado.

O grande momento do filme ocorre quando ele descobre que na verdade aquele garoto estava ali para ajudá-lo a ser uma pessoa melhor, mais feliz e escolhendo uma vida mais plena com amigos e família, ao invés de somente poder e dinheiro.

O filme mostra claramente o processo de identidade, no qual a pessoa na compreensão das suas origens, liberta-se de amarras, crenças, libera a autocura física e emocional e inicia seu processo de mudança. Mudança essa que leva ao alcance dos resultados esperados em sua vida.

Através de sua coragem de perguntar a si mesmo e ouvir suas próprias respostas, Russ exercita o autoperdão e o perdão dos que fizeram parte de sua história, desprogramando padrões de pensamentos e comportamentos não compatíveis com seu potencial.